BANNER 1


Na quarta-feira (3) o Conselho de Gerenciamento de Patrimônio do Governo do Estado aprovou a cessão de uso do imóvel localizado na Rua Francisco Sólon, no bairro de Boa Vista, em Mossoró, para instalação do Hospital Municipal São Camilo de Lellis, único de internação Psiquiátrica da região.

"Por meio da cessão dos terrenos, o Estado está prestando a colaboração para o atendimento dos serviços de saúde, que mais do que nunca são considerados de extrema importância para o povo potiguar”, disse a Governadora Fátima Bezerra.

A secretária de Saúde de Mossoró, Saudade Azevedo, agradeceu ao governo pela cessão do imóvel, feita após solicitação da gestão municipal.

“Agradecemos ao Governo do Estado por esse gesto no qual a governadora se mostrou sensível a esse pleito municipal. Agora é dar andamento aos trâmites legais e já começar a desenhar um projeto para irmos buscar os recursos para construção do novo espaço do São Camilo”.

O Hospital São Camilo de Lellis atende pacientes psiquiátricos de Mossoró e cerca de 66 municípios circunvizinhos.

A unidade, que atualmente funciona em prédio alugado, possui atualmente 70 leitos que acolhem homens, mulheres e, em alguns casos, adolescentes que possuem transtornos mentais e que, em momentos de exacerbação do quadro clínico, podem necessitar de internação.

Segundo a Prefeitura de Mossoró, o atual prédio alugado apresenta comprometimento na sua estrutura física, o que implica em riscos não só para os usuários como também para os servidores da unidade hospitalar.

No novo endereço, cedido pelo Governo do RN, que possui uma área total de 4.161,60m², não só a cidade, mas toda a região do Alto Oeste vai ganhar um espaço acolhedor com assistência integral aos pacientes.

De acordo com o termo de cessão de uso do imóvel, celebrado nesta semana entre o Estado, por meio do órgão proprietário do prédio, a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fundase), e o Município de Mossoró, fica estabelecido a destinação do local para abrigar o Hospital São Camilo de Lellis, com fins à promoção e manutenção da saúde, em especial a internação de pacientes psiquiátricos, bem como ao enfrentamento da pandemia de Covid-19.

O município também fica responsável pelas adequações e construções necessárias, além da manutenção da unidade. A cessão do uso terá prazo de cinco anos, contados a partir da assinatura do termo.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem