BANNER 1


Em meio ao combate do novo Coronavírus (COVID-19), desenvolvedores de Tecnologia da Informação (TI) da startup NUT – empresa vinculada à incubadora Inova Metrópole, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) – dispõem de tecnologia capaz de oferecer monitoramento à distância de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Em utilização há aproximadamente quatro meses no Centro Avançado de Oncologia (LIGA), a Plataforma de Assistência Remota (PAR), entre outras funcionalidades, entrega, em tempo real e por acesso remoto, todos os sinais vitais do paciente monitorado, com a opção de configuração dos limites de segurança e com alerta de notificações, dispensando a necessidade da verificação em cada leito e permitindo, ainda, o telediagnóstico.

“Eu tenho acesso a essas informações onde quer que eu esteja, não mais apenas pelo monitor posicionado ao lado do leito do paciente. A ferramenta me informa automaticamente caso a pessoa assuma um estado crítico e a equipe é acionada imediatamente”, comenta o médico Dr. Domingos Sávio de Medeiros (CRM nº 3826), coordenador de UTI da LIGA.

Principal forma de contágio do COVID-19, a aproximação física acontece em uma UTI, no mínimo, a cada duas horas, momento em que os técnicos de enfermagem registram, no papel, todos os dados monitorados pelos monitores multiparamétricos (como respiração e temperatura, por exemplo).

“A PAR permite uma segurança extra à equipe de saúde, pois todas essas informações são acessadas de maneira online, em tempo real, em formato que pode ser escolhido entre gráficos, planilhas ou relatórios, com interface simples e de fácil compreensão”, garante a COO da startup, Dalila Monteiro. Segundo o Dr. Domingos Sávio, com o uso da plataforma, o hospital conseguiu uma economia de três horas diárias de trabalho do técnico de enfermagem, “que agora são destinadas a outras atividades assistenciais” garante o médico.

Aplicativo

Já validada, a tecnologia, segundo Dalila Monteiro, está pronta para ser usada em qualquer UTI, além de enfermarias equipadas como monitores multiparamétricos. Além do sistema online, acessível por todos os navegadores de internet e dispositivos web, a NUT também desenvolveu um aplicativo para smartphone - que permite que os alertas de segurança sejam notificados, trazendo praticidade e agilidade ao corpo clínico.

A empresa também trabalha na implementação do módulo de inteligência, com mecanismos de predição, que, fazendo uso de Inteligência Artificial, poderá prever possíveis complicações de saúde dos pacientes e do seu tempo de internação, utilizando, para isso, dados já coletados anteriormente.

“Atualmente, mesmo com o monitoramento constante das UTIs, os hospitais não contam com uma coleta de dados inteligente, de modo que não é possível trabalhar com alertas preditivos do quadro clínico do enfermo. Isso acaba impactando na estrutura financeira da organização e na qualidade do serviço prestado ao paciente”, comenta ainda Dalila Monteiro.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem