BANNER 1


A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) irá manter em abril a bandeira tarifária verde na conta de energia. Ou seja, o consumidor não terá custo adicional além do seu consumo. Este é o 3º mês consecutivo que a bandeira verde é mantida.

As chuvas do mês de março elevaram os níveis dos reservatórios das hidrelétricas do SIN (Sistema Integrado Nacional), o que possibilitou uma maior oferta de geração de energia.

“Em março, os principais reservatórios de hidrelétricas do Sistema Interligado Nacional apresentaram recuperação de níveis em razão do volume de chuvas próximo ao padrão histórico do mês“, disse a Aneel em nota.

Mesmo com a bandeira verde, a Aneel recomenda que o consumidor deve usar a energia conforme a necessidade, sem desperdício.

As bandeiras são uma metodologia usada pela agência para ajudar o consumidor a interpretar as contas mensais. Elas racionalizam o uso e contribuem para que se tenha 1 gasto menor. Mostram quando é a hora de economizar mais para pagar menos.

ENTENDA AS BANDEIRAS TARIFÁRIAS

O sistema de bandeiras tarifárias foi instituído pela agência em 2015, com objetivo de sinalizar ao consumidor o custo real da geração de energia elétrica. As cores das modalidades –verde, amarela ou vermelha– indicam se haverá ou não acréscimo a ser repassado nas contas de luz.

Todo mês, o ONS (Operador Nacional do Sistema) faz uma previsão do custo médio da geração de energia no mês seguinte. Além disso são considerados o valor da usina térmica mais cara que será ligada, as condições climáticas e o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Durante o período chuvoso, a energia gerada pelas hidrelétricas é suficiente para abastecer grande parte da demanda do país. Mas, em épocas de seca e calor, é necessário acionar térmicas, que custam mais caro. Os recursos das bandeiras tarifárias são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia no período.


Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem